Rammstein: Paris

Rammstein: Paris

“RAMMSTEIN: PARIS é a fusão perfeita entre o show extraordinário da banda com a arte de editar filmes. É um banquete visual, uma celebração de Rammstein ao vivo, que é diferente e, Mais »

Flake na revista Burrn (maio/2011)

Esta é a primeira vez que tenho a oportunidade de conhecer a banda, apesar de ser um grande fã.

Flake é o tecladista, disse a mim mesmo. Entrei em um quarto no backstage, me sentei em um sofá e esperei, alguns minutos depois ele apareceu. Me estendeu a mão e eu estava muito nervoso por ser a primeira vez que eu o via.

Minha primeira pergunta foi em inglês, e ele respondeu lentamente. Para a segunda pergunta preferiu chamar um intérprete de alemão. Eu sei que ele entende meu inglês, mas preferiu chamar um intérprete para saber perfeitamente o que eu queria expressar.

————-

Burrn: Vocês usaram um bote de plástico de novo para navegar sobre o público. Acho que é algo perigoso, sobre tudo pelo nível de excitação em que estão os fãs…. Quem teve esta ideia?

Flake: Tudo começou com uma brincadeira do Staff. Na primeira vez esconderam de mim e eu não sabia de nada. De repente, jogaram o bote para a plateia e decidi fazer. Pensei que seria uma boa ideia.

Burrn: Pois é! É muito eficaz. Eu não esperava vê-lo no Madison Square Garden dezembro passado. Esse show, e o de Montreal, foram filmados para o próximo DVD ao vivo. Muita gente me diz que a venda de discos nos EUA não era muito boa, e que ao contrário da Europa, não podiam tocar em cenários grandes, mas em apenas alguns minutos os ingressos se esgotaram. Era o que vocês queriam?

Flake: Certamente. O show no Madison Square Garden foi como uma prova para saber se os EUA estavam prontos para nós ou não

Burrn: Esse sucesso parece de certa forma, ridículo…. Por exemplo, no México as vendas sempre são mais altas que nos EUA.

Flake: Não me importa as vendas de discos ou os prêmios. O ponto importante é que muita gente venha a nossos concertos. Esse é o maior prêmio para nós. Qualquer um pode ter um prêmio, mas a realidade é que só importa quantos fãs temos, fãs reais.

Burrn: O disco “Liebe is für alle da” é um grande álbum lançado há 2 anos atrás. E conseguiram enormes vendas com ele. Nessa tour tocam um total de 8 músicas do disco, de um total de 18…

Flake: Bom, quando fazemos uma tour , nos diverte tocar músicas novas. Sempre é agradável fazer coisas novas, não acha?

Burrn: Existem muito poucas bandas iguais a vocês. Geralmente, as outras bandas tocam uma ou duas músicas novas e o resto são hits. Por outro lado, temos Rammstein, que tem uma forte política onde a encenação e a música estão perfeitamente bem organizadas e polidas.

Flake: Bem, não é complicado. Simplesmente nos emociona tocar músicas novas no palco, não que seja uma obrigação, mas realmente nos divertimos muito. Espero que com o disco “LIFAD” tenhamos feito coisas realmente boas e que valha a pena tudo o que suamos.

Burrn: Excelente! Voltarão aos EUA?

Flake: Sim, inclusive em pouco tempo teremos uma reunião pra ver os detalhes dessa tour. Talvez estejamos nos EUA em maio ou junho de 2012, não sei exatamente.

Burrn: Obrigado! Dez anos apos sua última tour em USA. Vi seu show no fórum de Los Angeles. Com razão que os ingressos se esgotaram tão rápido. Em só 10 minutos!

Flake: Claro, como no México! [risos] Nossos ingressos pros shows terminam muito rápido, é natural que voltemos.

Burrn: Vocês provaram que o metal é a verdadeira língua comum no mundo. Mas me diga, pelo amor de Deus! O que diabos significa “B********”? Nem o meu amigo alemão sabe o que significa.

Flake: Tem vários significados, você imagine que é uma droga especial, para fazer o amor de uma forma especial. Mas muito pode te matar.

Burrn: Serio? Então é um tipo de…

Flake: Sim, sim. De certo modo é uma substância venenosa.

Burrn: Ok, já entendi. Meu amigo alemão pensou que era uma especie de erro gramatical.

Flake: É interessante. Realmente ninguém sabe o significado desse titulo.

Burrn: Bom… Vocês fazem vídeos de uma maneira bastante peculiar. Me transmite a intenção de vocês de se apegarem a suas criações.

Flake: Nós nos interessamos muito mais nas músicas do que nos vídeos. Os vídeos não transmitem tão bem as mensagens quanto as letras das nossas musicas.

Burrn: Você disse que pra entender vocês, é importante vê-los ao vivo. Por que vocês acham que os seus fãs vão nos seus concertos? Pela música ou pela encenação? Ou pelos dois? Quase todos os fãs cantam suas músicas em alemão sem importar o país. Isso é impressionante!

Flake: Entendo completamente a sensação de cantar uma musica sem saber o que diabos significa. Isso nos acontece muito por que nossas letras estão em alemão. Nós crescemos na Berlim Oriental, escutando músicas em inglês sem saber o que significavam. Mas as músicas nos deixavam felizes, sem importar que estivessem em inglês. Assim que compreendo completamente, pela minha própria experiência.

Burrn: Rammstein é uma experiência visual e musicalmente…

Flake: Exatamente, E o fogo é a nossa ferramenta para nos conectar com os nossos fãs. Todos os membros da banda sentem o calor das chamas sobre o palco. E nos apoiamos em todos os sentidos. De certa maneira, o fogo nos funde uns com os outros.

Burrn: NA noite anterior tocaram ao vivo no show de “Jimmy Kimmel Live”. Como foi pra você? Se sentiu estranho? Por que estava claro que o ambiente não era o adequado. O palco estava entre Hollywood Boulevard e Highland. Nos arredores da cidade…

Flake: Esta foi uma nova experiência para nós nos EUA. Nem na Alemanha nos apresentamos ao vivo em programas de TV. Como que não encaixa na gente. Mas desta vez, nos fizeram uma oferta e não podíamos recusar. Mas foi muito estranho pra gente. Nos sentimos como amadores.

Burrn: Apesar de tudo fizeram um grande show! Especialmente, eu gosto muito do homem em chamas. Houve muita controvérsia na internet pra saber se era real ou parte do show. Você gosta da televisão?

Flake: Oh não! Não é nosso meio de comunicação preferido. Nem que fôssemos americanos. Me senti muito estranho em ver nosso show na internet. Nosso meio de comunicação são nossos shows. Nos sentimos vivos quando estamos no palco.

Burrn: Oliver é muito jovem, apenas tem 40 anos. Por outro lado Till já tem 48 anos. Qual é o segredo pra que a diferença de idades não afete? Alias, ao Till agrada a música punk, ao Schneider e a você, a musica clássica e o Paul não gosta de nada de metal exceto o Rammstein!

Flake: Não é difícil tocar música juntos, o difícil às vezes é nos dar bem como amigos. Suponho que é pela natureza dos vínculos humanos. Mas já aprendemos e já não temos nenhum problema entre nós.

Burrn: Há mais ou menos 10 anos, correu o rumor de que a banda acabaria porque Richard se mudava para Nova York…

Flake: E também moramos juntos antes. Schneider, Paul e eu..

Burrn: Durante a época do Feeling B suponho…

Flake: Sim, é verdade. Uma velha historia, em 1983. Não voltamos a morar juntos nunca mais [risos]

Burrn: Não existem dias em que pensam que Rammstein é maior do que vocês como pessoas?

Flake: Sim, todos os dias penso nisso. Rammstein é grande demais para nós. É difícil explicar o que sentimos pelo Rammstein. É como nosso filho, mas agora ele é grande demais, um monstro. É espantoso.

Burrn: Bom, qual e seu plano agora? O ‘‘LIFAD Tour’’ terminou?

Flake: Sim

Burrn: Depois, o DVD ao vivo foi gravado em NYC e em Montreal certo?

Flake: Além do mais, terá imagens de 1998 nos EUA. Imagens muito, muito velhas. Será como uma espécie de diário. Um registro de nossa visita.

Burrn: E sobre o disco ‘‘Best of’’?

Flake: Sairá antes do DVD.

Burrn: Existem planos pra um novo disco?

Flake: Não gostamos de fazer planos antecipados. Depois dessa tour, falaremos e planejaremos alguma coisa. Mas não te posso dar mais detalhes por agora. Não gostamos de ter pressão sobre nós.

Burrn: Não visitaram Japão desde 2005. Algum plano de visita na próxima tour?

Flake: Talvez, nada seguro. É difícil pensar sobre isso. Espero que sim

Burrn: Muito obrigado!

 

 Tradução por João Lucas Satomi e Stephanie Rosswag a partir da versão em espanhol do site Rammstein-México.