Rammstein: Paris

Rammstein: Paris

“RAMMSTEIN: PARIS é a fusão perfeita entre o show extraordinário da banda com a arte de editar filmes. É um banquete visual, uma celebração de Rammstein ao vivo, que é diferente e, Mais »

Rosenrot Press Release

Texto escrito por Thorsten Zahn, editor da revista alemã “Metal Hammer” / Tradução de Igor Mendes

Texto de imprensa oficial – ROSENROT

ROSENROT, uma palavra como uma poesia, com muitos significados e interpretações. Junta o bonito e o feio, o meigo e o cruel, a vida e a morte.
Em ROSENROT, o Rammstein mergulha fundo na literatura alemã fazendo, nesse álbum, o impossível possível. Na música ROSENROT, reconhece-se o conto de fadas “Schneeweißchen und rosenrot” e o conto “Heidenröslein”, de Goethe. Lindermann cita Goethe como um clássico da literatura alemã. Mas não e fácil perceber isso. Dá-se a tudo uma peculiaridade: a forma feminina. Nota-se, nas letras, o faro de rimas, metáforas rasgadas e versos tempestuosos de Lindermann, ex-autor de livros.

Conteúdo poético

O mar de figuras de ROSENROT é quase interminável. O álbum contém figuras de rostos sobre rosto, mergulhando fundo no traiçoeiro abismo psicológico humano. Expressa os problemas, anomalias e absurdos que se escondem atrás de uma fachada de normalidade.
“In meine Kette fehlt kein Glied | wenn die Lust von hinterrn zieht | Mein Geschlecht schimpf mich verräter | Ich bin der Alptraum alle Väter” (“Na minha corrente, nenhum elo se perde. Quando o desejo/vontade me puxa por trás / Meu sexo me xinga de traidor/ Eu sou o pesadelo de todos os pais”). Esse trecho pertence a “Mann gegen Mann” (Homem contra homem), uma música que retrata os conflitos do amor entre pessoas do mesmo sexo. Outro elemento presente são os contrastes (“Feuer und Wasser” – Fogo e Água), o poder (“Zerstören” – Destruir) e erros fatais (“Spring” – Salto).
Sua linha musical se baseia em grandiosos Riffs e batidas de teclado. “Wo bist du” (Onde está você) promete ser a música melancólica do álbum. Essa combinação entre viagem ao inferno e calmo passeio de barco torna ROSENROT inédito, e mais: mostra mais uma vez a categoria da banda. Sangue, suor e lágrimas: tão profundo quanto simples.

A idéia em conjunto

Um álbum como uma fundição. E aí está o motivo do milagre. As canções não vêm do nada, mas sim de muitas sessões de estúdio. Algumas já estavam prontas na época do lançamento de “Reise, Reise”, nos estúdios Cortijo, na cidade espanhola de Málaga. Já outras faixas foram produzidas no já familiar Teldex Studio, em Berlim, na primavera de 2005. O surgimento da faixa-título ROSENROT demonstra que para uma banda como Rammstein, nada fica bom imediatamente. Realmente a faixa deveria ter sido incluída no álbum “Reise, Reise”, mas foi adiada pois a banda considerou que ela não estava pronta para publicação. A calma e a lentidão na escolha das canções são características marcantes do Rammstein. As escolhas da banda são democráticas. As opiniões dos membros da banda têm o mesmo valor. Por isso os berlinenses são tão unidos. E esse conceito de união não se refere apenas aos componentes da banda. Referem-se a todas as pessoas que a cercam. Em ROSENROT trabalhou a mesma equipe de “Reise, Reise”, como por exemplo os especialistas Jacob Hellner, Stefan Glaumann e Howie Weinberg.

Fama mundial

Esse círculo de confiança dá segurança à banda, e eles precisam disso para manter o animador número de vendas. No momento, estão sendo bem sucedidos em sua exportação para fora da Alemanha, em contraste com outras bandas, que se contentam com o sucesso apenas dentro do país.
O sucesso do Rammstein é internacional. Na Rússia, Franca ou México, a cena é a mesma: milhares de fãs cantando as músicas com a banda. Outros músicos respeitam muito o sexteto alemão, em entrevistas, listas de agradecimento e CD´s. Grandes como o “Pet Shop Boys” e “Arthur Baker” participaram com remixes no single “Mein Teil”. O primeiro single de ROSENROT já tem uma série de participações: a AdRock (do Beastie Boys), o metal experimental sueco do Meshuggah e o Apocalyptica fizeram ajustes e transformações nas músicas.

Muitas caras

A união do Rammstein se baseia em duas coisas: independência e responsabilidade. Ambos estão presentes no grupo desde 1995, no início da banda – então com ritmos primitivos e palavras vulgares, atiçando a crítica. Mas Rammstein continuou seu caminho em busca da música perfeita. Então a banda reconheceu: não é só o som que entusiasma as pessoas, mas também o visual. Em dado momento, as mudanças no mundo da música transformaram o perfil da banda.
Em HERZELEID(1995), eles eram os “machões”; em SEHNSUCHT, eles passaram a se maquiar mais; em MUTTER, eram horripilantemente mutilados e em REISE, REISE, vestiam roupas cosmopolitas e andavam com armas nas mãos. Mas sempre mantiveram sua identidade ao longo de seu desenvolvimento, baseada em apenas uma coisa: o fogo.
Considerando os atributos de verdade do som do Rammstein, ROSENROT não configura uma exceção. É como os outros álbuns: rouba o ouvinte, transportando-o para um lugar desconhecido, através de muita ambigüidade.
Rammstein é uma banda de contrastes, uma união vermelho-rosa. Sangrento e, simultaneamente, maravilhoso.